Notícias

02/09/2015 - Santander
Justiça obriga Santander a contratar terceirizada e indenizá-la em R$ 20 mil
por Feeb-PR

Justiça obriga Santander a contratar terceirizada e indenizá-la em R$ 20 mil
Funcionária prestava serviços por uma empresa terceirizada; TST reverteu duas decisões desfavoráveis anteriores
O Tribunal Superior do Trabalho reconheceu o vínculo empregatício entre o banco Santander e uma operadora de telemarketing terceirizada, da Co
ntax, que trabalhava na central de atendimento aos clientes do banco. Além de ter que contratá-la, o tribunal também condenou o banco a pagar uma indenização de R$ 20 mil à funcionária.

Justiça entendeu que terceirização era ilícita .

A autora da ação teve pedidos negados em primeira e segunda instâncias. No entanto, o TST reverteu as decisões anteriores argumentando que a terceirização era ilícita, declarando unanimamente o vínculo direto da funcionária com a instituição financeira.

A Justiça determinou ainda que o banco se inclua na carteira de trabalho da operadora de telemarketing como o real empregador por todo o período de serviço prestado, além de enquadrá-la na categoria dos bancários.

"O contrato existente entre as empresas trata de verdadeira intermediação de mão-de-obra, o que não se pode aceitar, pois afronta totalmente os princípios norteadores do nosso ordenamento jurídico, como seus princípios maiores: a dignidade da pessoa humana e o valor social do trabalho", diz trecho da decisão judicial.

Procurado pelo iG, o Santander informou apenas que "não se pronuncia em casos sub judice”. (Fonte: iG)

  • Rua Barão de Monte Alto, 70, sl. 307, Centro, 36880-000 Muriaé / MG
  • (32) 3722-3336 / (32) 3722-3734
© 2015 SEEB Muriaé - Todos os direitos reservados