Notícias

18/07/2014 - Santander
Justiça manda reintegrar gerente do Santander sequestrado na Paraíba
por Feeb-PR

Justiça manda reintegrar gerente do Santander sequestrado na Paraíba
O gerente geral do Santander foi reintegrado na terça-feira, dia 15 de julho, ao seu posto de trabalho, na agência Manaíra, em cumprimento à decisão da juíza da 4ª Vara do Trabalho de João Pessoa. (Otávio Ivson)

Por duas vezes, no exercício de suas funções, ele foi vítima da ação de bandidos especializados em roubos a bancos. Na primeira ocorrência, foi sequestrado e a família do gerente ficou refém dos bandidos, enquanto parte do bando assaltou a agência que ele trabalhava. A segunda ação ocorreu no final do ano passado, quando dois assaltantes foram baleados em frente à mesma agência.

Em consequência, o bancário passou a sofrer transtornos de estresse pós-traumáticos, com quadro de pânico e sintomas depressivos desde a primeira ocorrência; quadro que se agravou com o violento desfecho da segunda investida criminosa, quando o gerente sofreu mais um trauma.

Não bastasse toda essa violência sofrida e os consequentes traumas irreparáveis, causados pelo sequestro e os dois assaltos, o gerente foi sumariamente demitido pelo banco espanhol. Justamente no momento que mais precisava de apoio e de tratamento psiquiátrico adequado.

Uma vez que o empregador lhe virou as costas, o gerente recorreu ao Sindicato dos Bancários da Paraíba, que lhe deu todo o apoio e a assistência que a gravidade do caso requeria. De imediato, a entidade emitiu a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), agendou a perícia no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e, em seguida, ajuizou a ação de reintegração para reverter a demissão abusiva.

Decorrido o prazo para analisar minunciosamente a documentação juntada pelo Sindicato, a Justiça do Trabalho da Paraíba, em decisão liminar, mandou que o Santander mantivesse vigente o contrato de trabalho do gerente, a imediata reintegração, a percepção de todos os benefícios e a manutenção do seu plano de saúde. E ainda foi arbitrada uma multa diária no valor de R$ 1.000, em caso de descumprimento da media judicial.

No ato da reintegração, acompanhado dos advogados Camila Peres e Marcelo Assunção e do diretor do Sindicato, Sivaldo Torres, o advogado Philip Abrantes ressaltou que a decisão foi mais uma vitória dos bancários.

"Brilhantemente, a Justiça resgatou a dignidade do bancário que foi injustamente demitido quando se encontrava doente, vítima das investidas criminosas no desempenho de suas funções. Afinal, a saúde do trabalhador é um direito amplamente protegido pelo ordenamento jurídico e casos como esses devem ser apreciados com a urgência e a presteza eu a Lei determina", concluiu Philip Abrantes. (Fonte: SEEB PB)

  • Rua Barão de Monte Alto, 70, sl. 307, Centro, 36880-000 Muriaé / MG
  • (32) 3722-3336 / (32) 3722-3734
© 2015 SEEB Muriaé - Todos os direitos reservados